Resultado do PIB decepciona e recua 0,68% no 1º trimestre, diz BC

PIB - números BC trimestreO RM do hotel terá que refazer previsões: a economia não anda

A última ata do Copom (Comitê de Política Monetária), divulgada ontem (14), foi sintomática. E, como previsto, a economia brasileira andou de lado nesse início de ano. Dados divulgados hoje (15) pelo BC (Banco Central) apontam que o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), caiu 0,68% no primeiro trimestre frente aos três meses anteriores. 

O resultado corrobora as preocupações com o ritmo da atividade econômica e as perspectivas de crescimento do país. Nas últimas semanas, a pesquisa Focus – também do BC – fez seguidas revisões para baixo na expectativa de expansão do PIB (Produto Interno Bruto). Na semana passada, por exemplo, reduziu o indicador de 1,70% para 1,49%.

Espécie de sinalizador do PIB, o IBC-Br apresentou queda nos três primeiros meses de 2019. Em março, o recuo apurado pelo BC foi de 0,28% frente ao mês anterior. O resultado foi pior do que a expectativa de queda de 0,20% em pesquisa da Reuters. Além disso, deu sequência ao ritmo de redução de 0,98% e 0,11% de janeiro e fevereiro, respectivamente.

PIB e desemprego

Na comparação com igual mês de 2018, o IBC-Br apresentou queda de 2,52% em março e, no acumulado em 12 meses, houve alta de 1,05%. Segundo o BC, março foi marcado por contrações tanto no setor de indústria, quanto nos serviços. No primeiro caso, o recuo apurado foi de 1,3%, enquanto o segundo teve decréscimo de 0,7%. Para a instituição, o ambiente de desemprego na casa de 12,7% no primeiro trimestre, com quase 13,4 milhões de desocupados, influenciou o desempenho decisivamente.

Em entrevista a Reuters, Alberto Ramos, diretor de pesquisa econômica do Goldman Sachs para América Latina, disse que a economia continua a operar em alto grau de ociosidade. “Progresso na direção de uma consolidação fiscal permanece, em nossa avaliação, sendo determinante para ancorar o sentimento do mercado, sustentar o sentimento de consumidores e empresas e alavancar o que tem sido até agora uma recuperação rasa e decepcionante”, acrescentou.

Os números do PIB relativos ao início de 2019 serão divulgados pelo IBGE em 30 de maio. No quarto trimestre de 2018, o indicador cresceu 0,1% sobre o terceiro, encerrando o ano passado com expansão de 1,1%.

(*) Crédito da capa: geralt/Pixabay

(**) Crédito da foto: TheDigitalWay/Pixabay

Comentários