Precificação e experiência de compra são temas de evento da OTA Insight

OTA Insight - café da manhã_Ricardo SouzaSouza: venda por mercado de origem é tendência forte

A OTA Insight reuniu hoteleiros hoje (2) pela manhã, no Expo Center Norte, para falar sobre um tema relevante: precificação. Números atuais e perspectivas para a hotelaria, desafios para se posicionar nos canais online e a importância dos mercados de origem, entre outros assuntos, foram abordadas pela empresa. Ainda assim, a principal mensagem da palestra é um só: invista na experiência de compra do seu site e entenda bem seu público-alvo. 

Ricardo Souza, gerente de Desenvolvimento de Negócios da OTA Insight no Brasil, conduziu a palestra, realizada horas antes da abertura da WTM-LA (World Travel Market Latin America). Com o tema “Uma evolução nas estratégias de preço: precificação por mercado de ponto de venda”, o encontro teve a presença de executivos de redes hoteleiras e hotéis independentes de diferentes regiões do país. Além de Souza, outras lideranças da plataforma de data intelligence participaram do evento.

“Há um ano iniciamos a operação no Brasil, participando também da WTM-LA. De lá para cá, crescemos quase cinco vezes a base de clientes no país, além de dobrarmos o tamanho da equipe”, informou Souza. “Apesar do turismo internacional ainda crescer timidamente por aqui, o mercado doméstico é forte e nossa ferramenta pode auxiliar em sua distribuição”, completou.

OTA Insight: mercado de origem

Dados apresentados por Souza ressaltam o potencial do mercado de viagens online. Segundo dados do Skift, a indústria hoteleira deve crescer este ano, em termos de faturamento, 4,5% frente a 2018. Em paralelo, a expansão prevista para o segmento de OTAs é de 12,2%, na mesma base de comparação.

“Em resumo, esses players são importantes para o turismo e devem crescer mais do que as indústrias que elas vendem: hotelaria, aviação e cruzeiros, por exemplo”, comenta Souza. “Some-se a isso o fato de que o consumidor está empoderado e muito mais informado. A migração da venda offline para o online não tem mais volta”, avalia.

OTA Insight - evento_internaHoteleiros independentes e de rede estiveram no evento

Dentro desse contexto, Souza apresentou alguns pontos importantes, entre eles a importância da precificação por ponto de venda. Para isso, contudo, é fundamental conhecer bem o público-alvo, ensina o profissional. “Faz diferença investir no mercado correto, no público certo, entendendo o perfil do consumidor local. Com isso, você será mais assertivo do que fazer uma campanha de marketing cara e mirabolante”, disse.

Ao conhecer bem o mercado de origem e suas características, Souza vê ganhos claros. Entre eles, atração de novos consumidores, manutenção da fidelidade e precificação de forma dinâmica por mercado de origem. “A última é uma tendência muito forte e as OTAs fazem isso diariamente com suas tarifas. Ou seja, eles negociam seus quartos com preços bem diferentes de uma praça para outra e muitas vezes você não faz ideia disso. Em resumo, precificação por ponto de venda já é feita, e não é por vocês”, completa.

Experiência de compra online

Outro ponto fundamental é a experiência de compra do consumidor online. “Este é o maior foco de investimento das OTAs, e eles são imbatíveis nisso realmente. A hotelaria, ao contrário, está focada na experiência do cliente no hotel, e não pode abrir mão disso mesmo. Agora, negligenciar o primeiro é um erro”, citou Souza, que exemplifica: 

“O hóspede chegar a primeira vez pela OTA? Ok, sem problemas. Agora, se ele teve uma experiência boa e voltou pelo mesmo canal, em vez de comprar direto, alguma coisa está errada. Uma possibilidade é que ele considerou mais fácil comprar pela Booking.com, onde o cartão já está cadastrado e ele fecha a compra com poucos cliques, do que no seu site”, acrescenta. 

Para corroborar a opinião, o gerente da OTA Insight citou alguns números. Em 2015, 62% do trafego dos sites de hotéis era orgânico. Ou seja, o hóspede chegava ao seu portal sem grandes investimentos. Em 2018, esse percentual caiu para 42% e, em paralelo,  “O ponto aqui é que as pessoas não deixaram de viajar, elas só passaram a procurar e reservar em outros lugares”, observa.

Souza terminou a apresentação deixando três dicas importante aos hoteleiros:

1. Estudar e entender as oportunidades: é importante saber quais mercado mais geram vendas. Ao mesmo tempo, se quer ampliar essa base, procure entender as praças que deseja atingir.

2. Monitore essas oportunidades: atente à média de tempo de estada, o gasto de A&B (Alimentos & Bebidas), se busca aumento da diária media e a comportamento de compra do consumidor, como a antecendência de compra.

3. Faça campanhas promocionais de ativação em OTAs: depois de entender melhor o seu público e o que o hotel efetivamente precisa, esse é um dinheiro bem gasto. Certamente, com todo esse entendimento, sua ação será maios efetiva.

Veja abaixo fotos de alguns dos hoteleiros presentes ao encontro promovido pela OTA Insight, que teve o Hotelier News como parceiro. 

(*) Crédito das fotos: Vinicius Medeiros/Hotelier News

Comentários