Juma Amazon Lodge (AM) investe R$ 500 mil na ampliação de bangalôs

Juma Amazon Lodge - novo bangalô florestaAgora, os seis bangalôs vista floresta têm 30 m²

Situado numa área de 7 mil hectares em meio à Floresta Amazônica, o Juma Amazon Lodge apresentou novidades na infraestrutura. O empreendimento, localizado em Autazes (AM), concluiu a renovação de seis dos seus 19 bangalôs. No total, foram gastos R$ 500 mil na reforma das habitações, que são chamadas de “vista floresta” por motivos óbvios.

Com as obras, entregues recentemente, as acomodações foram ampliadas para 30 metros quadrados. As intervenções também incluíram melhorias nos banheiros, que também ficaram maiores e ganharam duchas com aquecimento solar.

“Além da menor metragem, os quartos ficavam próximos uns dos outros. Agora, além da melhor infraestrutura, os hóspedes podem desfrutar de mais privacidade”, explica Caio Fonseca, sócio do hotel. “Agora, todos os bangalôs ‘vista floresta’ comportam pelo menos quatro pessoas”, completa.

O Juma Amazon Lodge conta ainda com 12 acomodações com vista para o Rio Juma, que margeia o hotel, além de um bangalô panorâmico, espécie de suíte presidencial. “Como chegar ao hotel demanda uma viagem de três horas a partir de Manaus (carro e barco), trabalhamos apenas com pacotes. O mais vendido é um de três noites, que sai por aproximadamente R$ 3 mil”, explica Fonseca.

“Neste valor estão incluídos transfer desde Manaus, passeios e todas as refeições e bebidas, à exceção das alcóolicas”, diz. “Entre as atrações oferecidas estão observação de botos, passeios de canoa, visita a comunidades ribeirinhas e expedição pela selva, além de pernoites na floresta com guia”, completa Fonseca. Outra atração do Juma Amazon Lodge é a piscina flutuante com água de rio, inaugurada no ano passado.

Juma Amazon Lodge - capaA piscina flutuante foi inaugurada no ano passado

Juma Amazon Lodge: público

De acordo com Fonseca, 80% dos hóspedes são estrangeiros. "EUA respondem por 20% da clientela, seguido por Inglaterra, com uns 15%. A Alemanha é também um mercado emissor importante”, explica. Para ele, a baixa presença de brasileiros tem ligação, entre outros fatores, com a pouca divulgação da Amazônia domesticamente.

“Muita gente acha que não vai encontrar produtos de qualidade no meio da floresta. Além disso, as passagens aéreas são caras. Ainda assim, o público nacional vem crescendo, mesmo que devagar”, explica. "Nosso perfil de hóspede é formado por pessoas que realmente querem desligar por completo e curtir a natureza. Nós, por exemplo, não temos televisão nos quartos.”

Em termos de canais de venda, Fonseca revela que metade da ocupação vem de reservas diretas pelo site. “A outra metade é dividida entre OTAs e operadoras, principalmente do Rio de Janeiro, que é a porta de entrada do país para os estrangeiros dentro do nosso perfil de cliente”, pondera. “Normalmente são pacotes que incluem Rio, Foz do Iguaçu (PR) e Amazônia”, conclui.

(*) Crédito da capa: Ita Kirsch/Juma Amazon Lodge

(**) Crédito da foto: Caio Fonseca/Juma Amazon Lodge

(***) Crédito da foto: Márcio Cimatti/Juma Amazon Lodge

Comentários